Duas dúvidas muito comuns para quem quer iniciar a carreira de designer de interiores são como e quanto cobrar por um projeto de interiores. Mas vamos esclarecer tudo nesse post!

Quais são os tipos de remuneração para um projeto de Design de Interiores?

De fato existem diversas maneiras de cobrar pelo projeto de design de interiores. Primeiramente é interessante saber o que será oferecido e englobado no trabalho, para então estabelecer um preço mais justo.

Muitos fatores podem influenciar os valores praticados pelos designers de interiores. Dessa forma, a região do país, ou até mesmo a experiência do profissional podem contar para essas variações de preço.

O mais usual entre os designers de interiores é estabelecer um valor por metro quadrado, e um valor à parte para execução. Também é possível cobrar por consultorias, quando o envolvimento do profissional, ou as necessidades do cliente forem menores.

Além disso, você pode cobrar por hora técnica, quando precisar desenvolver algum trabalho ou fazer visitas que estão fora do acordado, por exemplo.

Fatores que influenciam em quanto cobrar por um projeto de interiores

Além da região e experiência profissional, especificar o que fará parte do trabalho pode influenciar o quanto cobrar.

Entender as fases do projeto é importante, pois nem sempre chegaremos à todas as etapas em todos os trabalhos. Pode ser que você seja contratado somente para desenvolver o anteprojeto, ou que não acompanhe a obra.

Em cada etapa temos diferentes produtos, e deixar isso claro tanto para você, quanto para seu cliente pode ser interessante. Não só pelo fato de justificar o valor, mas para que ambos vejam o tempo e trabalho envolvidos para chegar em um resultado que agrade e seja condizente com o esperado.

Jamais subestime o tempo que um projeto leva para ficar pronto!

As fases de projeto e o que abrangem:

1. Briefing e Programa de necessidades

  • Entrevista com cliente.
  • Levantamento métrico.
  • Compreensão do ambiente e das necessidades e anseios.
  • Definir limites de orçamento.
  • Estabelecer contrato.
  • Entender o escopo do projeto.
  • Pesquisa de referências.
  • Desenvolvimento de layout inicial (normalmente em planta baixa).

2. Anteprojeto

  • Escolha de materiais, revestimentos e mobiliários.
  • Montagem de moodboard.
  • Estudos preliminares em vistas 2D e 3D.
  • Desenhos complementares (elétrico, luminárias, forro…).
  • Sugestão de eventuais alterações no projeto arquitetônico.

3. Projeto Executivo

  • Validação das escolhas de materiais, revestimentos e mobiliários.
  • Elaboração de desenhos detalhados para obra com definições técnicas (posicionamento de ar condicionado, pontos de informática, telefone e rede, iluminação, pontos elétricos, pontos;
  • Hidráulicos, definição de paginação de revestimentos).
  • Elaboração de desenhos detalhados para execução de mobiliário.
  • Escolher e especificar itens decorativos.
  • Cotar e orçar com fornecedores, reunir valores e apresentar para os clientes.

4. Acompanhamento e Execução

  • Elaborar cronograma.
  • Gerenciar etapas e prazos.
  • Selecionar fornecedores e serviços especializados.
  • Coordenar equipes.
  • Acompanhar e assessorar clientes para aprovação de produtos.
  • Zelar pela qualidade da execução dos serviços.
  • Observar se estão sendo executados conforme o projeto.
  • Fazer ajustes ao projeto.

Outro fator significativo é o que fará parte do trabalho a ser desenvolvido. Como vimos cada fase de projeto engloba diversos assuntos. Por isso podemos ter diferenças de custos para ambientes com metragens quadradas semelhantes, pois depende do que será feito.

Imagine uma cozinha, em que o projeto compreenda troca de piso, troca de revestimentos de parede, novos pontos de tomada, posicionamento de luminárias. Some a isso o projeto detalhado de todos os móveis, o detalhamento da pedra da pia e a especificação de metais, cuba e eletrodomésticos.

É bastante coisa não é? Por isso, nunca podemos deixar de considerar o que fará parte do projeto para cobrar um valor justo por ele.

E afinal, quanto cobrar por um projeto de Design de Interiores?

Como dito o mais usual é cobrar um valor por metro quadrado. Porém, se fizermos assim o projeto de um lavabo ou uma cozinha pode custar muito pouco se considerarmos o trabalho a ser desenvolvido. O que pode ser feito é estabelecer um valor mínimo, por exemplo, o valor equivalente a 10m² para projetos menores que essa área.

Sendo assim, mesmo que um banheiro tenha 3,5m² o valor dele será referente ao mínimo, que são 10m². Além disso, vale ressaltar que esse valor por metro quadrado não leva em consideração o Acompanhamento e Execução da Obra, que deve ser cobrado à parte, caso seja contratado para isso.

Para a região Sul, podemos aplicar os valores a seguir:

  1. Remuneração por projeto (sem execução da obra): de R$100,00 a R$150,00 por metro quadrado.
  2. Consulta: de R$ 150,00 a R$250,00 para consultas até 3 horas.
  3. Hora técnica: R$95,00 a R$150,00 por hora.
  4. Administração e execução de obra: de 10% a 15% do custo total da obra.

Além disso, como é interessante considerar o que fará parte do projeto, podemos aplicar pesos diferentes conforme o que será oferecido.

Dessa forma, dividindo os trabalhos em 3 grupos, e tomando por base os valores de acordo com a Remuneração por Projeto, temos as seguintes quantias:

  • Grupo 1 (projeto completo ou com alterações no ambiente): 100% do valor;
  • Grupo 2 (projeto em que não existirão muitas alterações do ambiente) : ⅔ do valor;
  • Grupo 3 (projeto que envolva menos detalhamentos e alterações do ambiente): ⅓ do valor.

Tabela de grupos:

GRUPO 1GRUPO 2GRUPO 3
Briefing e Programa de NecessidadesBriefing e Programa de NecessidadesBriefing e Programa de Necessidades
Escolha de revestimentos
Escolha de mobiliários, tecidos, tintas e lumináriasEscolha de mobiliários, tecidos, tintas e lumináriasEscolha de mobiliários, tecidos, tintas e luminárias
Montagem de moodboardMontagem de moodboardMontagem de moodboard
Estudos em 2D e 3DEstudos em 2D e 3DLayout da distribuição de móveis em 2D
Desenhos detalhados de mobiliáriosDesenhos detalhados de mobiliáriosDetalhamento de 1 ou 2 móveis
Posicionamento de ar condicionado, pontos elétricos, luminárias
Detalhamento de forro
Posicionamento de pontos hidráulicos
Definição da paginação de revestimentos
Escolha de itens decorativosEscolha de itens decorativosEscolha de itens decorativos

 

Por fim, para ter mais segurança em saber o quanto cobrar por um projeto de interiores, a dica é, sempre tenha em mente o valor que vale a sua hora de trabalho. Não apenas isso, mas também qual o valor que você precisa ou pretende ganhar por mês como designer de interiores. Acima de tudo, leve em consideração o trabalho a ser feito e quais etapas do projeto você irá fazer.